[Resenha] A Rebelde do Deserto - Alwyn Hamilton (A Rebelde do Deserto #01)

20:10

Alwyn Hamilton

Tradução: Eric Novello
Páginas: 288
Editora: Seguinte

          O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. 
          Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. 
          Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por lhe revelar o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.


          Se existe uma palavra para definir como eu estou me sentindo após ler A Rebelde do Deserto essa palavra é realizada! Pode parecer exagero, mas não estou nem um pouco equivocada ao considerá-lo o melhor livro que li esse ano, e vamos lá que eu vou explicar o porquê.


          A Rebelde do Deserto conta a história de Amani, uma moradora da Vila da Poeira, uma cidadezinha perdida no meio do deserto. A jovem foi criada pelos seus tios depois que sua mãe foi enforcada por matar seu padastro, que a agredia com frequência. Mas com a jovem preste a completar 17 anos é esperado que um pretendente seja-lhe arranjado ou que seu tio, para ela continuar vivendo sob seu teto, despose-a. Indignada com ambas as possibilidades Amani começa a planejar um fuga para Izman, uma cidade da qual sua mãe mencionava sendo um lugar de esperança - até mesmo para uma mulher.


          Decidida em conseguir dinheiro para sua partida ela se disfarçar de homem participar de um campeonato de tiro em um lugar chamado Tiroteio. Para a jovem, atirar é algo tão natural quanto respirar, mas seu plano acaba fracassando quando ela e Jin, um misterioso forasteiro que está na mira do exército do Sultão, entram em uma confusão e, em meio a um tiroteio, acabam ajudando um ao outro para saírem vivos daquele lugar.
          Após um incêndio misterioso destruir a fábrica de armas, principal fonte de renda da Vila da Poeira, em meio ao caos, Amani, que agora também se encontra na mira do exército por suspeita de ter ajudado um foragido, esgueira-se com Jin para fora da cidade. Ambos seguem seus destinos em meio as areias do deserto, mas a jornada de Amani está apenas começando.

"Uma nova alvorada, um novo deserto!"

          A Editora Seguinte vem fazendo apostas maravilhosas nos últimos tempos, e com o A Rebelde do Deserto não foi diferente. Um livro fantástico e rico em todos os sentidos, e que foi impossível de largar mesmo depois da última página.
          A narrativa de Alwyn Hamilton flui de maneira fácil e cativante, e é espontâneo para o leitor se identificar com Amani. Apesar de algumas vezes a garota ser bastante cabeça dura várias de suas decisões e seus medos nos fazem criar uma afetividade enorme com a personagem.
          Amani é, sem dúvida, o que se pode chamar de uma joia rara do Deserto. A garota é fantástica, valente e maravilhosa da primeira a última página. E ainda mais pautando que naquela época as mulheres não tinham "voz" (sim, o livro aborda isso) o que é um motivo a mais para amar essa nossa rebelde.
          E há ainda toda uma questão do mistério envolvendo a origem de Amani, que apesar de passar despercebida durante boa parte do livro afeta de forma significativa os mistérios e perigos que ela enfrentará durante sua jornada.
          O Deserto é um lugar tanto mágico quanto mortal, a magia antiga ainda corre na areia, onde existem carniçais, djinnis, buraqis, rocs e tantos outros seres prontos para dizimar caravanas inteiras. A mitologia tem um papel fundamental para o enredo e. como vocês devem saber que sou aficionada por esse tema. o livro pontuou ainda mais comigo quando manteve-se entrelaçado a ela até as últimas páginas.
         E como se não bastasse ter um conteúdo maravilho, o livro é visualmente incrível. A capa é de tirar o fôlego fazendo um contraste lindo entre o dourado e vários tons de azul, e o desenho da parte de baixo ainda dá uma dica da estória. Por dentro vários desenhos nos encantam e fazem suspirar. É o livro mais bonito que ainda não tenho na minha estante hahaha (Créditos da foto vão para Paloma Davino).
          Há outros tantos detalhes para contar, mas se eu revelar mais acabará com parte do mistério que vocês mesmo devem descobrir. Por último tenho que alertá-lo: se você está começando, ou pretende começar esse livro, se ligue bem em todos os detalhes que a autora lhe dá, eles faram toda a diferença quando você menos esperar (e com certeza você vai se sentir retardado como a Paloma e eu por não pegarmos dicas óbvias e já descobrirmos várias coisas de cara).

       
Pontuação

Favoritado



Eu quase ia me esquecendo, o próximo livro da trilogia se chamará ''Traitor to the Throne" e segundo notícias a capa será revelada amanhã.



You Might Also Like

0 comentários

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tempestades de Oklahoma

As tempestades a agitavam por dentro, despejavam a energia ao redor e a levavam com elas em um turbilhão de fúria e paixão.
- Nothing Personal (Jaci Burton)

Acessos

Subscribe