[Resenha] O Último Adeus - Cynthia Hand

01:00

Cynthia Hand

Tradução: Carolina Coelho
Páginas: 352
Editora: DarkSide Books

          O Último Adeus é narrado em primeira pessoal por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido de seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz.
          O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário qiue ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? 


"Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio." - Tyler



          A história se passa dois meses depois do suicídio de Tyler, o irmão mais novo da protagonista Alexis. O livro mostra a trajetória da Lex tentando conviver com uma culpa gigantesca, uma saudade arrasadora do irmão, um relacionamento péssimo com o pai e com uma mãe destruída com a morte do filho.
          A Lexie não consegue se perdoar por não ter conseguido salvar seu irmão dele mesmo. E ela própria vai se castigando, se afastando de tudo que ama, se trancando dentro de si, passando por tudo em piloto automático. Seu terapeuta então sugere que ela inicie um diário, e escreva tudo o que ela não fala e não quer compartilhar de nenhuma maneira. Que ela escreva sobre o Ty, escreva sobre a última vez que o viu feliz, que escreva sobre ela e sobre como se sente de verdade. Ela relutantemente aceita, mas não dá muito crédito a essa ideia. Até que ela começa a ver o fantasma de seu irmão pela casa, sentido sua colônia favorita em vários lugares. O que leva Lex a descobrir e investigar coisas que não fazia a mínima ideia sobre a vida do seu irmão.

          O Último Adeus é um livro de superação, dor, perdão, amizade e amor. Mostra como tudo ao nosso redor é volátil, frágil, que em um segundo tudo pode mudar definitivamente.
          Dizer que eu derramei algumas lágrimas é eufemismo. Não conseguia deixar de chorar a cada dois capítulos lidos. Sério! E sim pessoal, eu sou uma manteiga derretida assumida. E assumo ainda mais, este livro acabou com o meu emocional. Ele levou meus sentimentos por ele ao limite, conseguiu que eu transita-se entre a raiva e a tristeza em segundos. Fora que o seu final – para mim – foi perfeito e me fez perder mais lágrimas que não sabia que ainda guardava.
          O enredo é fantástico – não conseguia largar a leitura. E apesar de ter chorando bastante, o livro é muito equilibrado, muito bem escrito, tem partes bem humoradas. Tudo está na dosagem certa, na medida correta.

          Eu A D O R E I <3

          A DarkSide arrasou como sempre. Todo o designer do livro é lindo demais!! E toda a tipografia é azul... para ficar mais próximo de um diário mesmo. Magnífico. Dou cinco estrelas e favorito com toda certeza. Leiam!!! É um livro extraordinário.

Pontuação
Favoritado

You Might Also Like

1 comentários

  1. Hey!

    Como já disse em alguns blogs que vejo resenhas da DarkSide, eu sou meio cagona pra livros de terror e suspense... E mesmo se não for, tenho certo receio com os livros dessa editora. Porém, todavia, entretanto, as capas são lindas e me deixam hipnotizadas. Tipo, eu Super QUERO Em algum lugar nas Estrelas!!! Aquela capa é perfeita!

    Voltando ao assunto original, haha, eu meio que não estou na vibe para livros desse estilo. Coisa de morte, suicídio... Mas adorei a resenha!

    Beijos,

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tempestades de Oklahoma

As tempestades a agitavam por dentro, despejavam a energia ao redor e a levavam com elas em um turbilhão de fúria e paixão.
- Nothing Personal (Jaci Burton)

Acessos

Subscribe