[Resenha] O Menino que Desenhava Monstros - Keith Donohue

08:47

Kaith Donohue

Tradução: Cláudia Guimarães
Páginas: 256
Editora: DarkSide Books

          Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar.
          Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais.


          Sabe quando você assisti um bom filme de terror e verifica embaixo da cama, cantando uma música gospel, só para ter certeza que não existe nada lá? Então, me senti exatamente assim com esse livro e, de sobra, ainda fiquei com medo de desenhar qualquer desenho! Porque o que o Menino me ensinou é que a imaginação tem poder!

          O livro nos conta a história de um menino de 10 anos, Jack Peter, que possui síndrome de Asperger — que é um distúrbio de desenvolvimento que afeta a capacidade do indivíduo de socializa-se e comunicar-se de maneira efetiva —  o que o torna um garoto muito fechado e reservado. Seu único modo de se expressar é por meio dos seus desenhos.
          Os pai de Jack o culpam pela doença, sempre buscando formas de se desmancharem em alto piedade, sempre julgando-o por não ser "normal". O que deixa o livro muito irritante, por que não tem nada mais chato que outros fazendo padrões, certo? E além do mais ambos são extremamente céticos! Coisas estranhas acontecem bem na frente deles e eles simplesmente optam por não acreditaram. Eles vêem e ouvem episódios mega esquisitos, e mesmo assim eles não "acordam" dos seus mundinhos.
          Outro personagem importante — e maçante —  no livro é o melhor amigo do JP, Nicholas, que se mostra ser um garoto bem chato, e ele deixa bem claro que seu relacionamento com o Jack é forçado e artificial – o que me deixou muito triste, por que o Jack merecia alguém verdadeiro e que o entendesse e o ajudasse.

          O início do livro, para mim, foi muito difícil, demorei para encontrar até disposição para continuar a leitura, mas a partir da página 150, o livro melhora muito. Ele cria um bom ritmo, nada muito empolgante, mas mesmo assim bom. E quanto menos você espera já está nas últimas folhas. E aí vem o final. Ainda não tenho uma opinião formada, nem uma teoria sobre tudo o que o autor expõe no fim.
          O livro em si, chegou a me decepcionar. Ele – no meu ponto de vista – não é nem um pouco assustador, é mais misterioso. Criei várias expectativas em vão. Quando achava que ia acontecer algo bom - leia assustadora - ele vinha e me tava uma bela tapa na cara me chamava de trouxa (risos). Parecia uma montanha russa sem a diversão, sem adrenalina.
          Entretanto quem procura um livro com uma pegada "terror", ele é um ótimo começo para vocês se introduzirem no mundo literário sombrio.
          A edição é linda e gostei da forma que o Kaith me deixou em relação a história. Fiquei com um leve gosto de quero mais. Então quem já leu esse livro, venha dividir comigo seus pensamentos sobre o final. Estou querendo muito discutir sobre ele com alguém!

Pontuação

You Might Also Like

13 comentários

  1. Hey!

    Eu vi esse livro e pensei! Cara, nunca lerei! Hahaha, eu já devo ter dito um milhão de vezes que sou medrosa pra esse tipo de gênero literário e cinematográfico. Não curto. Mas realmente, a capa é bem bonita.

    beijos,

    http://tordodemorango.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Hey!Olá!Como está?
    Darkside e sua edições maravilhosas, mas que mesmo assim, ainda me arrepiam. Confesso, deu-me um certo medinho de tentar lê-lo -sou medrosa mesmo-. Mas eu persisto e sim, darei um jeito de iniciá-lo, nem que seja somente pelo dia. Essa temática de crianças isoladas e com algum tipo de trauma/síndrome me interessa muito, tanto que pretendo comprar Menina Má. Contudo, por enquanto, minha disposição está voltada para Circo Mecânico. Eu preciso desse livro!!! Aparenta ser um pouco mais "leve". Irei adicionar esse também a minha lista. :D
    Beijos. Até mais! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiii Mirelly !!! Eu também confesso que comecei ele com medinho, mas no fim deu para respirar e levar todo o suspense numa boa.

      Sobre Menina Má... É UM LIVRO MARAVILHOSO!!! Eu super recomendo, leia!

      Beijos linda! E ótimas leituras !!

      Excluir
  3. AGORA fiquei com vontade de ler. A resenha me deixou curioso. @soutoacacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom !!! Fico super feliz!
      Ótima leitura, Acácio! <3

      Excluir
  4. Irei começar agora. ..

    ResponderExcluir
  5. Este livro tem alguma descrição de idade ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii! Não tem não! Pode ler tranquilo ;)

      Excluir
    2. Paloma, acredito que a idade adequada para a leitura seja 14 anos para cima. Tem cena de sexo e uso de drogas no livro, além de alguns palavreados não adequados para certa idade.

      Excluir
  6. Oi Paloma, tudo bem? Meu nome é Bruno Braga e também fiz a leitura dessa obra na última semana. Gostei muito da obra, inclusive teci uma resenha no meu blog. Confesso que fiquei um pouco confuso com seu texto em alguns pontos. A meu ver, os pais do Jack não o culpam pela doença. Eles tem uma dificuldade de lidar com ela (principalmente a mãe). Outra ponto mencionado por você é a personalidade do Nick, amigo do Jack Petter. No meu ponto de vista o seu comportamento é reflexo dos problemas familiares vívidos pelo personagem, o que acaba influenciando na sua pessoa. Os parágrafos finais também me deixaram confusos: Você gostou ou não da obra? A crítica parece incoerente com a pontuação dada à obra. Espero que aceite bem os comentários, pois acredito que esse é um espaço para reflexão e debate.

    Segue link da minha resenha e redes sociais:

    http://sertaoleitor.blogspot.com.br/2016/10/doenca-fe-e-adultos-as-diversas-formas.html

    Instagram/Twitter/Facebook: bugabraga

    ResponderExcluir
  7. Acabei de ler e resenhar esse livro, e concordo com você: ele não é terror não, é mais um suspense/mistério...
    Vou deixar o link da minha resenha se quiser conferir, e tem sorteio rolando no blog, de qualquer título da Darkside à escolha do ganhador, fique a vontade para participar também!
    http://livroslapiseafins.blogspot.com.br/2016/10/terminei-de-ler-o-menino-que-desenhava.html

    ResponderExcluir
  8. Olá, como vai?

    Adorei seu blog, e q pena q o livro te decepcionou, mas eu vou ler do mesmo jeito, estou muito curiosa, e gosto de ler livros q falam da Síndrome de Asperger.

    No final de sua resenha, vc falou q gostaria de conversar sobre ele com alguém, vc já conversou com alguém? Pois se não, eu toparia conversa sobre ele com vc. Mas primeiro eu tenho q ler, óbvio rsrsrs. O q vc acha? Ah, estou te seguindo!

    Abraços e boas leituras!!!

    http://minhavida-deleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tempestades de Oklahoma

As tempestades a agitavam por dentro, despejavam a energia ao redor e a levavam com elas em um turbilhão de fúria e paixão.
- Nothing Personal (Jaci Burton)

Acessos

Subscribe